EUA rejeitam exigência iraquiana para retirada de tropas

Os EUA anunciaram hoje que rejeitam a exigência iraquiana de um cronograma para a retirada das tropas norte-americanas que ocupam o Iraque. "O governo dos EUA e o governo do Iraque estão de acordo que nós, o governo dos EUA, queremos sair e vamos sair. Contudo, essa decisão será baseada nas condições existentes", disse o porta-voz do Departamento de Estado, Gonzalo Gallegos.A declaração foi uma reação à afirmação feita hoje pelo assessor de Segurança Nacional do governo do Iraque, Muwaffaq al-Rubaie. Em entrevista coletiva na cidade sagrada iraquiana de Najaf, Al-Rubaie disse que "nós não vamos aceitar nenhum memorando de entendimentos que não dê uma data específica para a retirada completa das tropas estrangeiras". Ontem, durante encontro com diplomaras árabes em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, havia dito que "a direção que estamos tomando é ter um memorando de entendimentos ou para a saída das tropas ou para um cronograma para a sua retirada. As negociações com o lado americano continuam, mas, em qualquer caso, a base para um acordo será o respeito à soberania do Iraque".Segundo Al-Rubaie, "o governo do Iraque falou em uma data, enquanto a parte estrangeira falou sobre outra data. Até agora, não chegamos a um acordo sobre essa questão". Já o porta-voz da Casa Branca, Scott Stanzel, disse que "é importante entender que essas não são negociações em torno de uma data para uma retirada". Além da questão do prazo, o Iraque também está contestando as exigências norte-americanas quanto à imunidade de seus militares e seus mercenários perante a Justiça iraquiana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.