EUA rejeitam proposta iraquiana para inspeção de armas

A Casa Branca rejeitou, com veemência, um pedido do Iraque à ONU, para que um grupo de jornalistas e personalidades independentes acompanhe as inspeções de seus arsenais. "O regime de Bagdá tenta mais uma vez impor condições em temas sobre os quais deve manter-se calado", disse o porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer.O Iraque encaminhou o pedido ao Conselho de Segurança das Nações Unidas, sob a alegação de que os EUA podem manipular os trabalhos de inspeção para justificar um ataque, ou para espionar instalações iraquianas. "Depois de aceitar incondicionalmente o retorno dos inspetores, Bagdá pretende agora impor condições", acrescentou Fleischer.Enquanto o Conselho de Segurança continuava a discutir o projeto de resolução apresentado pelos EUA - ao qual França e Rússia se opõem -, a Casa Branca reiterava hoje que o "tempo para uma decisão da ONU está se esgotando". Washington não fixou um prazo para o fim dos debates, mas funcionários americanos têm dado indicações de que a paciência dos EUA está no fim.Fontes diplomáticas estimam que uma resolução não deve ser votada até a semana que vem. O projeto americano prevê "graves conseqüências" para o Iraque, caso não coopere com as inspeções.O presidente americano, George W. Bush, tem advertido que os EUA podem liderar uma coalizão militar à margem das Nações Unidas para atacar o Iraque, caso o regime de Saddam Hussein crie obstáculos para o trabalho dos inspetores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.