EUA: Republicanos traçam plano para atrair hispânicos

O Comitê Nacional Republicano pretende gastar US$ 10 milhões este ano para promover o partido junto a comunidades hispânicas, asiáticas e negras, grupos que deram importante suporte aos democratas nas eleições de 2012. O Partido Republicano baseia-se nas recomendações de um trabalho sobre o que deu errado nas eleições do ano passado.

Agência Estado

17 de março de 2013 | 21h00

O presidente do comitê, Reince Priebus, propôs também neste domingo encurtar o calendário para a nomeação de um candidato em 2016 e um limite no número de debates da temporada de primárias para evitar prejuízos ao eventual nomeado, causados por disputas internas.

As pesquisas indicaram que Obama concentrou os votos femininos, dos negros, hispânicos e asiáticos, além de pessoas com idade inferior a 45 e daqueles que vivem em cidades médias e grandes. Isso sugere um problema para os republicanos, já que o país conta com uma população cada vez mais diversificada. O último censo indicou que os brancos não hispânicos deixarão de ser maioria na próxima geração da população norte-americana, ou seja, próximo de 2043.

Para se materializarem, as propostas de Priebus terão de ser aprovadas pelos 168 membros do Comitê Nacional Republicano e então cada chefe eleitoral estadual seguir o calendário proposto, para evitar penalidades como a perda de votos de delegados na convenção de nomeação dos candidatos. Alguns estados ignoraram tais penalidades em ocasiões anteriores. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUARepublicano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.