EUA resgatam pilotos de caça que caiu na Líbia

Os dois tripulantes do caça dos Estados Unidos que caiu, ontem, na Líbia, foram resgatados por militares rebeldes. Apenas um deles tinha um ferimento leve na perna. Ambos foram levados para o Hotel Al-Fadeel, em Benghazi, examinados por um médico e levados embora pela Força Aérea americana.

AE, Agência Estado

23 de março de 2011 | 09h27

O caça F-15 da Força Aérea dos Estados Unidos caiu "por falha mecânica" às 3 horas da madrugada de ontem, perto do povoado de Bu Mariem, 30 km a leste de Benghazi, informou ontem o vice-presidente do Conselho Provisório Líbio, Abdul-Hafiz Ghoga.

Um comboio de veículos militares das forças leais ao ditador Muamar Kadafi estava a 35 km de Benghazi, a "capital" dos rebeldes, às 2 horas da madrugada de ontem, quando foi bombardeado por um caça americano. A informação, confirmada por Ghoga, mostra o quanto ainda falta para as forças aliadas neutralizarem a capacidade militar do regime líbio.

Ghoga não soube dar detalhes sobre a extensão do comboio nem o tipo de veículos e armamento que continha. Segundo ele, o comboio estava perto da cidade de Soluk, cerca de 40 km ao sul de Benghazi, numa estrada que corta o deserto e é ligada a Ajdabiya, cidade 160 km a oeste de Benghazi ainda com forte presença das tropas de Kadafi.

"As forças aliadas estão ao longo de toda a costa e seu sistema de reconhecimento detecta todos os movimentos", explicou o líder rebelde, à pergunta sobre como o comboio tinha sido detectado. A rede de TV Al-Jazira informou que caças ocidentais atacaram ontem um avião da Força Aérea leal ao regime que voava em direção a Benghazi. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaataquescaçaEUApilotos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.