EUA resolvem tratar iraquianos melhor para conter revolta

Os militares americanos passaram a evitar algumas técnicas de captura de prisioneiros iraquianos, como enfiar sacos na cabeça dos suspeitos, porque esse tipo de comportamento empurra novos recrutas para a rebelião antiamericana, disse o general Peter Chiarelli. "Quando maltratamos uma pessoa, o número de inimigos aumenta em nove", afirmou.Os soldados receberam orientação para não mais algemar ou vendar os prisioneiros na frente de parentes, disse Chiarelli, que controla a segurança em Bagdá. Iniciativas de "dignidade e respeito" para com os iraquianos também estão sendo adotadas em outras partes do país. O general John Batiste, da divisão responsável por territórios sunitas ao norte da capital, disse aos soldados que fossem mais corteses nos postos de trânsito e parassem de pôr sacos na cabeça de prisioneiros, afirmou um porta-voz."A pior coisa do mundo é pô-lo (o prisioneiro) no chão e pôr a bota em sua cabeça", disse Chiarelli. "A honra é muito importante nessa sociedade. Não se tira a honra de um homem".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.