Lam Yik Fei/The New York Times
Lam Yik Fei/The New York Times

EUA restringem visto a autoridades chinesas por ameaçarem autonomia de Hong Kong

Secretário de Estado americano acusa Pequim de não cumprir os compromissos assumidos quando esse território colonial britânico passou a fazer parte da China

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2020 | 16h13

WASHINGTON - Os Estados Unidos restringirão a entrada de algumas autoridades chinesas por ameaçarem a autonomia de Hong Kong, anunciou o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, nesta sexta-feira, 26.  O chefe da diplomacia americana disse em comunicado que os vistos serão restritos para autoridades chinesas responsáveis por "minar as liberdades de Hong Kong".

Além disso, Pompeo acusou Pequim de não cumprir os compromissos assumidos quando esse território colonial britânico passou a fazer parte da China. As famílias desses funcionários também serão afetadas pelas restrições, de acordo com o comunicado.

Esse anúncio ocorre em um momento em que a China busca aprovar uma lei de segurança para endurecer as punições por atividades consideradas subversivas, depois que no último ano Hong Kong passou por inúmeros protestos contra o poder de Pequim em seu território. 

Segundo vários ativistas, essa lei acabaria com as liberdades que fazem de Hong Kong um dos principais centros financeiros do mundo. 

Na última quinta-feira, o Senado americano aprovou uma lei para sancionar autoridades chinesas que tentassem acabar com a autonomia de Hong Kong. / AFP 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.