EUA restringem vistos a mais funcionários da Venezuela

Porta-voz do governo americano disse em comunicado que violadores de direitos humanos 'não são bem vindos' no país

O Estado de S. Paulo

02 de fevereiro de 2015 | 17h51

WASHINGTON - Os Estados Unidos anunciaram nesta segunda-feira novas sanções contra funcionários e ex-funcionários do governo venezuelano considerados "responsáveis ou cúmplices" de violações contra os direitos humanos no país.

"Estamos enviando uma mensagem muito clara de que os violadores de direitos humanos e aqueles que se beneficiam da corrupção, e suas famílias, não são bem vindos nos EUA", disse a porta-voz do Departamento de Estado americano, Jen Psaki.

"Ao ignorar repetidos pedidos de mudança de governos, de líderes respeitados e de grupos de especialistas, o governo venezuelano continuou demonstrando falta de respeito pelos direitos humanos e as liberdades fundamentais", disse a porta-voz do governo por meio de um comunicado.

Washington teve o cuidado de enfatizar que a nova medida "é específica para indivíduos e não é dirigida contra o país ou seus habitantes". 

Pela segunda vez em seis semanas, Washington impõe sanções contra funcionários venezuelanos, mas desta vez a medida vem diretamente do governo e não por inciativa dos legisladores.

Não foram reveladas as identidades nem o número de funcionários venezuelanos que sofrerão as medidas restritivas do governo americano.

O Departamento de Estado americano suspendeu em julho os vistos a 24 funcionários venezuelanos acusados de violar direitos humanos durante os protestos que deixaram 43 mortos no começo de 2014. / AFP e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
EUAVenezuelasançõesvisto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.