EUA retira visto de senadora boliviana e Morales se revolta

O presidente da Bolívia, Evo Morales, manifestou nesta quinta-feira sua preocupação e pediu explicações aos Estados Unidos pelo cancelamento do visto de entrada no país da senadora e dirigente cocaleira Leonilda Zurita."Espero que tenha sido um engano, e não a posição de um governo, que penaliza nossa irmã Leonilda Zurita", disse o presidente durante um ato protocolar junto ao corpo diplomático.Pouco antes, o porta-voz presidencial, Alex Contreras, afirmou que o governo havia solicitado "explicações à Embaixada dos EUA para se inteirar melhor deste caso, que realmente nos preocupa".Segundo o cônsul dos EUA na Bolívia, Julie Grant, Washington cancelou o visto de entrada de Zurita, uma grande aliada de Morales, em virtude da Lei de Imigração, que proíbe a entrada de pessoas que "estiveram envolvidas em atividades terroristas ou que possam tentar se envolver nessas atividades".Segundo admitiu a senadora nesta quinta-feira, o visto lhe foi cancelado em maio de 2004 e não recentemente. O presidente Morales assumiu o cargo em 22 de janeiro. A dirigente cocaleira foi convidada por algumas universidades americanas para ministrar aulas especiais sobre a situação boliviana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.