EUA: Sandy congestiona serviço de emergência de NYC

Os serviços de emergência, que nos Estados Unidos atendem pelo número 911, estão recebendo o recorde de 10 mil ligações a cada meia hora, por causa da chegada do furacão Sandy à costa leste norte-americana nesta noite, de acordo com o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, que há pouco deu entrevista coletiva para falar dos efeitos do furacão. Em média, o 911 costuma receber cerca de mil ligações a cada 30 minutos.

ALTAMIRO SILVA JUNIOR, Agência Estado

30 de outubro de 2012 | 00h45

Bloomberg falou que a situação é grave, que a tempestade veio um pouco mais forte do que o esperado e pediu para as pessoas só ligarem para o 911 em casos graves, "de vida ou morte", pois caso contrário poderá comprometer o serviço de resgate e a qualidade do atendimento. O prefeito também pediu para as pessoas não saírem de casa.

O metrô, que tem várias estações alagadas, deve demorar ao menos quatro dias para voltar ao normal depois da tempestade, informou agora há pouco a Metropolitan Transportation Authority (MTA). Além das estações, alguns túneis também estão alagados.

Houve boatos de que a tempestade causou inundações de quase um metro de altura na Bolsa de Nova York, em Wall Street. Mas um porta-voz negou os rumores e mostrou imagens de uma câmara interna para confirmar que não estava alagado, às 0h10 (horário de Brasília). A enchente, contudo, pode atingir níveis recordes na cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
EUANova YorkSandyfuracão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.