'EUA se abstiveram a meu pedido', diz Olmert

O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, disse que foi a seu pedido que os Estados Unidos se abstiveram na votação de um projeto de resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) que pedia um cessar-fogo imediato no território palestino de Gaza. Ele acrescentou que a ordem para a abstenção envergonhou a secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice."Na noite de quinta para sexta-feira, quando a secretária de Estado pretendia liderar a votação sobre um cessar-fogo no Conselho de Segurança, nós não queríamos que ela votasse a favor. Eu disse: ''Ponham-me o presidente Bush no telefone''. Eles disseram que ele estava no meio de um discurso em Filadélfia. Eu disse que não me importava: ''Preciso falar com ele agora''. Ele deixou o pódio e falou comigo. Eu disse a ele que os EUA não poderiam votar a favor, não poderiam votar a favor de uma resolução como aquela. Ele imediatamente ligou para a secretária de Estado e disse a ela que não votasse a favor", disse Olmert durante um discurso em Ashkelon (Sul de Israel).Com isso, acrescentou o primeiro-ministro, Condoleezza Rice "foi deixada envergonhada... Uma resolução que ela havia preparado e arranjado, e no fim das contas ela não votou a favor". A resolução acabou sendo aprovada no Conselho de Segurança da ONU com 14 votos e uma abstenção, a dos EUA. A resolução foi rejeitada tanto por Israel como pelo governo da Faixa de Gaza, formado pelo Movimento Islâmico de Resistência (Hamas). Indiciado pela Justiça israelense sob acusações de corrupção, Olmert deixará a chefia do governo de Israel depois de eleições marcadas para fevereiro.OfensivaO saldo da ofensiva militar israelense contra Gaza, iniciada em 27 de dezembro, aumentou hoje para 905 mortos e 4.095 feridos entre os palestinos e 13 israelenses mortos, entre eles 10 soldados. A ofensiva começou depois de o Hamas anunciar que não renovaria um acordo de cessar-fogo que havia vigorado desde junho; durante o período do cessar-fogo, ações militares israelenses mataram 27 palestinos em Gaza; no mesmo período, nenhum israelense morreu vitimado por foguetes disparados por militantes palestinos a partir de Gaza. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.