EUA se dispõem a aceitar redução de sanções ao Iraque

O secretário de Estado americano, Colin Powell, disse que os Estados Unidos estão prontos para considerar a suspensão temporária das sanções contra o Iraque, em vez da revogação total defendida antes pelos EUA. Outros membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU se manifestaram contra a retirada das sanções antes que os inspetores de armas possam voltar ao país e declará-lo livre de armas de destruição em massa.Powell disse que o governo americano está ansioso para retomar a produção de petróleo e gerar renda, que os Estados Unidos utilizariam na reconstrução do Iraque. O secretário americano fez o discurso nesta quinta-feira na capital da Bulgária, Sófia, durante uma visita para agradecer o apoio do país durante a guerra no Iraque. Na seqüência, Powell segue para a Alemanha. Antes, o embaixador dos Estados Unidos na ONU já havia avisado que o país iria preparar uma nova versão da proposta de resolução que determina o fim das sanções comerciais impostas ao Iraque. John Negroponte disse que a idéia é apresentar a resolução modificada a um grupo de especialistas da ONU nesta quinta-feira. A votação do documento, segundo o embaixador, poderia ocorrer já na semana que vem.Os países do Conselho de Segurança encerraram na quarta-feira a primeira rodada de discussões sobre o documento na ONU. Segundo o correspondente da BBC nas Nações Unidas, Greg Barrow, os diplomatas levantaram várias questões sobre o papel que a ONU deve desempenhar no Iraque pós-guerra.As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.