EUA se recusam a discutir ajuda humanitária para o Iraque

Os Estados Unidos se recusaram a comparecer a uma reunião internacional convocada pela Suíça, a fim de providenciar os preparativos para lidar com as conseqüências humanitárias da guerra no Iraque, afirmou hoje o ministro das Relações Exteriores da Suíça.?Certos países reagiram de forma negativa, por exemplo, os Estados Unidos?, disse Micheline Calmy-Rey aos repórteres. Ela não entrou em detalhes.Funcionários do Ministério das Relações Exteriores da Suíça afirmaram mais tarde que o órgão havia recebido um comunicado dos Estados Unidos dizendo que Washington não iria enviar uma delegação para a reunião, programada para 15 e 16 de fevereiro em Genebra.Um porta-voz da embaixada dos EUA em Berna afirmou que ele não faria nenhum comentário até segunda-feira."Assuntos humanitários não têm nada a ver com política", disse Calmy-Rey. "Precisamos fazer tudo o que pudermos na área humanitária antes, durante e depois de uma possível guerra."Na quinta-feira, a Agência Suíça para o Desenvolvimento e a Cooperação disse ter convidado 45 agências internacionais de ajuda e governos para a reunião. Entre as agências esperadas estão o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), e a Organização Mundial da Saúde (OMS).As agências internacionais de ajuda humanitária afirmaram que centenas de milhares de iraquianos podem fugir do país se uma guerra eclodir, enquanto milhões que ficarem no Iraque devem precisar de ajuda alimentar e de outros tipos, no caso de conflito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.