EUA seguem preparados para ataque na Síria

Em comunicado, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, elogiou o acordo feito com a Rússia para o fim das armas químicas na Síria. Mas ressaltou que caso o regime de Bashar al-Assad não cumpra o acordado, os Estados Unidos permanecem prontos para uma ação militar.

DOW JONES NEWSWIRES, Agência Estado

14 Setembro 2013 | 16h37

Obama declarou que o plano representa um importante e concreto passo para que as armas químicas sírias passem ao comando internacional para, em seguida, serem destruídas. "A comunidade internacional espera que o regime de Assad siga de acordo com os compromissos públicos", afirmou, em comunicado.

Segundo o presidente dos Estados Unidos, o país continuará o trabalho com a Rússia, Reino Unido, França e Nações Unidas para que o processo continue e seja cumprido. "Se a diplomacia falhar, os Estados Unidos permanecem preparados para atacar", informou Obama.

Obama relembrou que o regime de Assad usou armas químicas para matar mais de 1 mil homens, mulheres e crianças no dia 21 de agosto. "Eu decidi que os Estados Unidos deveriam agir para deter o regime sírio de usar armas químicas e deixar claro para o mundo que não iremos tolerar que usem".

O presidente norte-americano encerra o comunicado ao dizer que o uso de armas químicas em qualquer lugar do mundo é uma afronta contra a dignidade humana e uma ameaça contra a segurança das pessoas. "Nós temos o dever de preservar um mundo livre de armas químicas para os nossos filhos. Hoje marca um importante passo para alcançar esse objetivo".

Mais conteúdo sobre:
EUASiriaarmas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.