EUA sinalizam ser contra independência da Escócia

O governo do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, já afirmou que não tem opinião sobre a independência da Escócia, mas sinalizou nesta segunda-feira preferir que o país continue a fazer parte do Reino Unido.

THIAGO MORENO, COM INFORMAÇÕES DA DOW JONES NEWSWIRES, Estadão Conteúdo

15 de setembro de 2014 | 18h25

"Esta é uma decisão para o povo da Escócia", disse o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest. "Mas nós temos um interesse em ver o Reino Unido permanecer forte, robusto, unido e como parceiro efetivo." Earnest não quis responder se achava que a Escócia deve permanecer como parte do bloco, ou se os EUA estão preocupados com a força do Reino Unido após a saída do país. "Nós estamos confiantes de que o povo da Escócia fará uma decisão que eles acreditam será o melhor para seus interesses", afirmou o porta-voz.

Na quinta-feira, os escoceses vão votar em um referendo para decidir se devem romper seus laços com o restante do Reino Unido. De acordo com as últimas pesquisas de opinião, os votos contra e a favor da independência estão quase empatados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.