EUA: Start entra na pauta do Senado

Democratas dizem ter votos necessários para ratificação; Casa Branca critica republicanos

estadão.com.br,

15 de dezembro de 2010 | 19h51

O Senado americano começa a discutir na quinta-feira a aprovação do novo tratado de redução de armas nucleares com a Rússia (Start, na sigla em inglês). Em sessão nesta quarta, 15, os senadores aprovaram a entrada do tema na pauta por 66 a 32.

Veja também:

especialAs armas e ambições das potências nucleares

O líder da maioria democrata no Senado, Harry Reid, diz ter os 67 votos necessários para a ratificação do tratado. O partido do presidente Barack Obama precisa do apoio de sete senadores da oposição para aprovar o Start. Os democratas têm o apoio de alguns parlamentares republicanos importantes, como Richard Lugar, da Comissão de Relações Exteriores.

A votação quase foi adiada porque alguns membros da ala mais conservadora do Partido Republicano, queria que o tratado inteiro fosse lido no plenário do Senado, o que levaria cerca de 12 horas.

"A leitura dá tempo de pensarmos e conversarmos com o povo americano pela mídia", disse o senador Jim DeMint, membro do Tea Party, ala radical do Partido Republicano, segundo a CNN. "Sei que muitos dos republicanos que apoiam o tratado estão frustrados em ter que votá-lo antes do Natal".

O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, criticou a postura dos republicanos. "Isto é mais um episódio negativo na tendência de colocar interesses políticos acima da segurança nacional. É exatamente o tipo de jogo que o povo americano está cansado de ver", disse.

Assinado em abril, na República Tcheca, o Start prevê o corte de 1/3 nos arsenais nucleares de Rússia e EUA. Ele deve substituir o antigo tratado, de 1991, que expira este ano e é uma das pedras angulares da política externa de Obama.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.