EUA sugerem que presidente deposto pode ser responsável por violência étnica

O enviado americano para a Ásia Central, Robert Blake, pediu ontem uma investigação independente sobre as mortes no sul do Quirguistão. Ele sugeriu que o presidente deposto, Kurmanbek Bakiyev, exilado na Bielo-Rússia, pode ser o responsável pela violência étnica. O governo interino diz que mais de 2 mil usbeques e quirguizes podem ter morrido na semana passada. "O presidente deposto deixou para trás alguns de seus fiéis seguidores, que são contra o governo provisório. Há alegações de incitamento que precisam ser consideradas", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.