Jose Luis Magana/AP
Jose Luis Magana/AP

EUA suspeitam que Al-Qaeda organiza ataques em NY e Washington

Órgãos de inteligência acreditam que os implicados podem ter passaporte norte-americano

AP

10 Setembro 2011 | 22h08

ESPECIAL: Dez Anos do 11 de Setembro

 

WASHINGTON - A Al-Qaeda pode ter mandado terroristas com passaportes norte-americanos para organizar ataques em Washington e Nova York durante as cerimônias dos 10 anos do 11 de setembro. Um oficial garantiu que três homens foram designados para a missão e pelo menos dois deles podem ser cidadãos dos EUA.

Veja também:

documento ESPECIAL: Dez anos do 11 de Setembro

som ESTADÃO ESPN: Série especial

especialENQUETE: Do 11/9 à morte de Bin Laden: onde você estava?

 

O objetivo da Al-Qaeda seria causar o máximo de destruição possível, caso não consiga atacar as duas cidades. Mesmo com a suspeita, os órgãos de inteligência disseram que ainda não possuem provas concretas da ameaça. A notícia de que a organização terrorista ordenou os ataques teria chegado aos órgãos de inteligência norte-americanos na metade da semana.

 

Um informante da CIA acredita que os homens foram mandados por Ayman al-Zawahri, nomeado recentemente líder da organização depois da morte de Osama bin Laden. Os suspeitos devem falar árabe e inglês, além de possuir descendência árabe.

 

Policiais envolvidos na luta antiterrorista tinham nomes de possíveis criminosos, porém não conseguiram comprovar se eram falsos. Já os analistas de inteligência avaliaram o comportamento e perfil de pessoas que entraram nos EUA há pouco, mas tampouco puderam identificar suspeitos.

James McJunkin, diretor assistente em um escritório do FBI em Washington, disse que espera um aumento de ameaças devido às celebrações dos 10 anos dos atentados. E, em função do alarme recente, foram reforçadas estratégias de segurança nas duas cidades.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.