EUA: suspeitos de 3 homicídios são levados a tribunal

Dois homens suspeitos de matarem três pessoas e ferirem outras duas, aterrorizando a comunidade afro-americana da cidade de Tulsa, no Estado de Oklahoma, foram apresentados a um tribunal nesta segunda-feira. Jake England, de 19 anos, e Alvin Watts, de 32, foram presos no domingo em uma residência ao norte de Tulsa. Ambos são brancos e as cinco vítimas, todas atacadas na sexta-feira, negras. Um juiz fixou uma fiança em US$ 9,1 milhões, que não foi paga, e os dois não tiveram advogados no tribunal. A próxima audiência, quando poderão ser formalmente acusados pelos assassinatos, foi marcada para 16 de abril.

AE, Agência Estado

09 de abril de 2012 | 16h42

Os tiroteios da sexta-feira passada aconteceram num momento de tensão para os negros norte-americanos. No final de fevereiro, um adolescente negro, Trayvon Martin, foi morto a tiros por um guarda comunitário em Sanford, na Flórida, num caso que reacendeu a questão do racismo e gerou manifestações em todo o país.

Investigadores de Oklahoma e agentes do FBI, no entanto, disseram que ainda é muito cedo para dizer se os ataques na região norte de Tulsa, uma área de população predominantemente negra, tiveram motivação racial.

A suspeita surgiu a partir de declarações supostamente postadas por England em sua página no Facebook, segundo um porta-voz da polícia, Jason Willingham. Numa atualização feita quinta-feira na rede social, England teria culpado um homem negro pela morte de seu pai, há dois anos, e postado uma ofensa racista. A página do suspeito foi tirada do ar na tarde de domingo. England estaria também transtornado com o suicídio de sua noiva, em janeiro, afirmou Willingham.

Por enquanto, England e Watts são mantidos detidos sob suspeita de triplo homicídio. Uma amiga da família de England, Susan Sevenstar, disse que o jovem é um "bom rapaz" que "não estava bem da cabeça após a morte do pai e do suicídio da noiva em janeiro". A garota havia tido recentemente um bebê com England. "Se qualquer um quiser dizer que foi algo racista, confundiu as coisas" disse Sevenstar, que descreveu England não como branco, mas como de origem indígena norte-americana, da tribo Cherokee.

O xerife Chuck Jordan disse que os atiradores parecem ter escolhido suas vítimas a esmo. A polícia identificou os mortos como Dannaer Fields, de 49 anos, Bobby Clark, de 54 anos, e William Allen, de 31 anos. O xerife Jordan disse que os dois feridos estão bem e receberam alta hospitalar.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOklahomaviolênciaTulsatiroteio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.