EUA suspendem ordem para que homem pare de ter filhos

A Suprema Corte do Estado de Ohio derrubou a ordem judicial para que um homem evitasse ter mais filhos, por não ser capaz de pagar pensão para as sete crianças que já gerou. A corte decidiu que a sentença imposta a Sean Talty é muito pesada, pois não inclui um mecanismo de suspensão para o caso de Talty conseguir ficar em dia com as pensões.O réu, de 32 anos, tem sete filhos com cinco mulheres. Ele recebeu ordem de fazer esforços "razoáveis" para evitar a concepção durante seu período de condicional de cinco anos, depois de ser condenado por não sustentar os filhos.Oferecer um procedimento para suspender a ordem de não procriar "teria sido, no mínimo, uma alternativa fácil que iria acomodar melhor os direitos reprodutivos de Talty", disse o presidente da corte, Thomas Moyer. O caso agora volta à primeira instância para receber nova sentença.A promotoria defendeu a sentença original. "Esta é uma situação que muitos tribunais enfrentam, que tem a ver com esses indivíduos que produzem crianças irresponsavelmente e se recusam a sustentá-las", disse o assistente da promotoria James Bennett.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.