EUA suspendem sanções contra Índia e Paquistão

Os Estados Unidos decidiram suspender, a partir deste sábado, as sanções que impunham à Índia e ao Paquistão desde 1998, por conta dos testes nucleares realizados pelos dois países naquele ano. A decisão visa a obter apoio a um possível ataque norte-americano ao Afeganistão. Enquanto isso, os dois países, rivais na disputa da região da Caxemira, se mobilizaram para aliviar as tensões bilaterais em sua fronteira, à medida que o clima de guerra começa a tomar conta de toda a região. O ministro do Exterior paquistanês, Abdul Sattar, telefonou para o ministro das Relações Exteriores da Índia, Jaswant Singh. Os dois conversaram por dez minutos a respeito da situação na região. O presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, que concordou em cooperar com Washington nos esforços para capturar o terrorista Osama Bin Laden, apesar dos fortes laços de seu país com o regime do Taleban no Afeganistão, havia acusado Nova Délhi de tentar tirar proveito dos EUA para prejudicar os interesses de Islamabad, na quarta-feira passada. A posição da Índia após as declarações foram, primeiramente, inflamadas, mas depois foram se abrandando. Analistas dizem que Nova Délhi está preocupada com uma eventual mudança de posíção do governo de Musharraf sobre sua decisão de apoiar os EUA, o que poderia abrir caminho para que um regime simpático ao Taleban chegasse ao poder. Acredita-se que isso poderia resultar em reflexos para a situação na região da Caxemira, origem do conflito entre os dois países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.