EUA suspendem sanções econômicas contra a Líbia

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, suspendeu as restrições a que empresas americanas realizem negócios com a Líbia. Ações adotadas no fim do ano passado pela Líbia no sentido de desarmar-se e prestar contas à comunidade internacional "transformam nosso país e o mundo em geral em um lugar mais seguro", diz um comunicado divulgado pela Casa Branca.A decisão de eliminar as sanções impostas em 1986 e 1996 permitirá também a retomada das importações do petróleo líbio. Além disso, as companhias petrolíferas americanas poderão retomar suas atividades comerciais com a Líbia. Marathon, ConocoPhilips, Amerada Hess e Occidental são algumas das companhias com propriedades na Líbia, mas que estavam proibidas de operar no país desde 1986.Apesar disso, as contas líbias em instituições financeiras americanas continuarão congeladas. "Por intermédio dessas ações, a Líbia abriu um precedente que esperamos que seja imitado por outras nações, repudiando as armas de destruição em massa, colaborando com organizações internacionais e pondo fim à proliferação dos sistemas mais perigosos do mundo", disse Scott McClellan, secretário de Imprensa da Casa Branca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.