Spencer Platt/Getty Images/AFP
Spencer Platt/Getty Images/AFP

EUA suspendem temporariamente julgamentos de imigrantes ilegais por falta de espaço para abrigá-los

Após as críticas à política de ‘tolerância zero’ de Trump, Washington tenta manter as famílias detidas juntas enquanto os pais aguardam julgamento, mas decisão criou problemas logísticos

O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2018 | 10h14

WASHINGTON - Os pais que cruzarem ilegalmente a fronteira do México para os EUA com os filhos não serão processados no momento porque o governo está ficando sem espaço para abrigá-los, disse uma autoridade do governo americano na segunda-feira, 25.

+ Trump confronta deputada democrata e tensões sobre imigração aumentam nos EUA

+ Vice de Trump discutirá no Brasil uso de base militar, Venezuela e imigração

A gestão do presidente Donald Trump prometeu processar todos os adultos que atravessarem a fronteira ilegalmente, mas sua política de separar crianças imigrantes dos pais foi alvo de críticas em todo o mundo. Por isso, Washington tenta manter as famílias detidas juntas enquanto os pais aguardam julgamento.

+ Mais de 500 crianças imigrantes nos EUA foram devolvidas a suas famílias

+ Trump separa famílias de brasileiros que há anos estão nos EUA

A medida criou problemas logísticos para abrigar as famílias, e agora a Agência de Alfândega e Proteção da Fronteira (CBP) não está mais encaminhando novos casos aos tribunais, disseram funcionários da agência.

A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, disse que o governo não está descartando sua política de “tolerância zero” para a imigração ilegal, mas que precisa de uma “solução temporária” até poder alojar famílias imigrantes.

“Isto só durará pouco tempo, porque ficaremos sem espaço, ficaremos sem recursos para manter as pessoas juntas. E estamos pedindo ao Congresso que forneça estes recursos e faça seu trabalho”, disse Sarah a repórteres.

Uma fonte do CBP disse que a agência espera retomar em breve o encaminhamento de casos para processo, e que continua a fazê-lo com adultos flagrados cruzando a divisa ilegalmente e sem crianças.

Neste mês, Trump enfrentou uma condenação global, que incluiu até críticas de alguns colegas republicanos, em razão das crianças imigrantes que foram separadas de seus pais. Ele anulou formalmente a política de separações familiares na quarta-feira, mas o governo ainda tem de reunir mais de duas mil crianças com seus pais, e não está claro como abrigará milhares de famílias enquanto os pais são processados.

Os militares dos EUA foram instruídos a se preparar para acolher até 20 mil crianças imigrantes desacompanhadas em suas bases. Embora os republicanos controlem as duas Câmaras do Congresso, desentendimentos entre moderados e conservadores quanto às questões migratórias abalaram as perspectivas de uma solução legislativa rápida para a crise na fronteira.

Ainda na noite de segunda-feira, um grupo de senadores republicanos e democratas tentou chegar a um acordo sobre uma legislação que crie um protocolo para o tratamento de famílias imigrantes enquanto seus pedidos de asilo ou outras proteções da deportação são analisados. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.