AP Photo/Ahn Young-joon
AP Photo/Ahn Young-joon

EUA suspenderão mais exercícios militares com a Coreia do Sul

Depois de reunião com o líder norte-coreano, Trump fez o anúncio surpresa de que os EUA interromperiam os 'jogos de guerra' sem deixar claro quando o congelamento começaria

O Estado de S.Paulo

22 Junho 2018 | 21h50

WASHINGTON - Os EUA e a Coreia do Sul concordaram em suspender indefinidamente dois exercícios de treinamento em programas de intercâmbio para apoiar as negociações diplomáticas com a Coreia do Norte, informou o Pentágono nesta sexta-feira, 22.

A medida foi tomada depois de os dois países anunciarem o cancelamento dos exercícios Ulchi Freedom Guardian em grande escala previstos para agosto, cumprindo uma promessa do presidente Donald Trump durante sua cúpula com o líder da Coreia do Norte.

À decisão desta sexta-feira seguiu-se a uma reunião de alto nível entre o secretário de Defesa, Jim Mattis, o secretário de Estado, Mike Pompeo, o presidente do Estado-Maior Conjunto, Joe Dunford, e o conselheiro de Segurança Nacional John Bolton.

+ Trump diz que Coreia do Norte entregou restos mortais de 200 soldados americanos

"Para apoiar a implementação dos resultados da Cúpula de Cingapura, e em coordenação com o nosso aliado da República da Coreia, o secretário Mattis suspendeu indefinidamente alguns exercícios", disse a porta-voz Dana White.

Dois exercícios de treinamento do Programa de Intercâmbio da Marinha Coreana programados para ocorrer nos próximos três meses foram cancelados, disse Dana, acrescentando que "decisões adicionais dependerão da RPDC continuar a ter negociações produtivas de boa fé".

Cerca de 17,5 mil militares dos EUA deveriam participar dos exercícios da Freedom Guardian.

Na semana passada, depois de sua histórica reunião com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, Trump fez o anúncio surpresa de que os EUA interromperiam os "jogos de guerra" com seu aliado de segurança sul-coreano - sem deixar claro quando o congelamento começaria.

O presidente dos EUA  descreveu os exercícios como "provocadores" - um termo usado pela Coreia Norte.

Forças americanas e sul-coreanas treinam juntas há anos, e costumam ensaiar tudo, desde pousos na praia até uma invasão do norte, ou mesmo ataques contra o regime norte-coreano.

Pyongyang costuma reagir com firmeza. Após os treinos no ano passado, o norte disparou mísseis balísticos sobre o Japão, provocando um alerta global. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.