Cristobal Herrera/EFE
Cristobal Herrera/EFE

EUA batem recorde e registram 52 mil novos casos de coronavírus em 24 horas

País enfrenta um rápido aumento de infecções; vários Estados interrompem flexibilização de medidas

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2020 | 22h20

WASHINGTON - Os Estados Unidos registraram 52.898 infecções por coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com a contagem desta quarta-feira, 1, da Universidade Johns Hopkins, quando o país enfrenta um rápido aumento de casos da doença.

De acordo com os dados apurados pela instituição de Baltimore até as 21h30 de Brasília, o país contabiliza desde o início da pandemia 2.682.270 diagnósticos positivos da covid-19. 

Além disso, nas últimas 24 horas ocorreram 706 falecimentos, elevando o número de mortes no país devido ao vírus a 128.028.

O total de novas infecções divulgado nesta quarta supera as 42.528 anunciadas pela universidade na segunda-feira, estabelecendo assim um novo recorde diário de contágios.

As hospitalizações também estão aumentando em várias cidades, incluindo Houston, Texas e Phoenix, Arizona. 

Nesta quarta, o Texas quebrou seu recorde diário e registrou 8.076 novos casos de covid-19, quase mil a mais que no dia anterior. 

A nova onda de infecções levou vários estados a interromper a flexibilização das medidas de combate à doença. 

A Califórnia proibiu nesta quarta refeições em ambientes fechados em Los Angeles, além de adiar por três semanas a abertura de bares, cinemas e museus. 

O governador de Michigan também fechou o comércio no norte do estado, enquanto Oregon e Pensilvânia adotaram a obrigatoriedade do uso de máscaras em locais públicos, uma questão altamente politizada no país. 

"Durante uma alta temporada de viagens, a ausência de uma forte resposta nacional, incluindo uma ordem para uso de máscara em todo o país, continuará ameaçando a viabilidade de nossa economia e a capacidade de reabertura de nossas escolas no outono (no Hemisfério Norte)", alertou David Rubin, diretor do PolicyLab , um centro de pesquisa do Hospital Infantil da Filadélfia, Pensilvânia. 

O presidente Donald Trump, que ainda não foi visto em público durante a pandemia usando uma máscara, disse nesta quarta-feira que não teria "nenhum problema" em usar uma, enquanto reiterava sua crença de que o contágio simplesmente "desaparecerá". /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.