EUA têm mais hispânicos que negros, revela censo

Os hispânicos superaram os negros como o maior grupo minoritário nos Estados Unidos, informou hoje o Escritório de Censo Populacional.A população latina atingiu 37 milhões em julho de 2001, obtendo um crescimento de 4,7% em relação a abril de 2000. A população negra aumentou 2% durante o mesmo período, e atingiu a marca dos 36,1 milhões.As estimativas são as primeiras estatísticas do Escritório de Censo Populacional sobre raça e etnia, desde que os resultados do censo de 2000 foram divulgados dois anos atrás.O demógrafo Roberto Ramirez, do Escritório de Censo Populacional, disse que há muito tempo esperava-se que os hispânicos iriam superar os negros porque suas taxas de nascimento e de imigração são mais altas. "E a tendência mostra claramente que este número crescerá mais no futuro", afirmou Ramirez.Os hispânicos agora abrangem quase 13% da população dos EUA, que atingiu 284,8 milhões em julho de 2001. Este número indica um crescimento de 12,5% (35,3 milhões a mais) em relação aos 281,4 milhões de residentes em abril de 2000.Os negros respondem por 12,7% da população do país - mais do que os 12,6% que representavam em abril de 2000. A populaçãonegra teve um aumento de 700 mil habitantes nos 15 meses depois que o censo foi divulgado.Os brancos continuam a ser o maior grupo populacional, totalizando 199,3 milhões em julho de 2001, quase 70% de todosos cidadãos dos EUA.Os asiáticos são o próximo maior grupo minoritário, depois dos negros e hispânicos. Eles são cerca de 12,1 milhões, ou 4% dapopulação.O governo federal dos EUA considera "hispânico" uma etnia, não uma raça. De acordo com essa definição, as pessoas de etnia hispânica podem ser de qualquer raça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.