REUTERS/Jason Redmond
REUTERS/Jason Redmond

EUA têm novo recorde de quase 4 mil mortes diárias por covid-19

Segundo a Universidade Johns Hopkins, país também registrou 265.246 novos casos em 24 horas

Redação, O Estado de S.Paulo

07 de janeiro de 2021 | 23h36
Atualizado 21 de janeiro de 2021 | 21h37

WASHINGTON - Os Estados Unidos registraram quase 4 mil mortes diárias de covid-19 nesta quinta-feira, 7, um recorde, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, que faz um levantamento em tempo real dos dados relativos à pandemia. Na terça-feira, o país já havia registrado 3.930 mortes. 

As 3.998 mortes foram registradas no período de 24 horas encerrado às 20h30 do horário local (22h30 de Brasília), no qual o país também registrou 265.246 novos casos, segundo a universidade.

Desde o fim de novembro, o número de mortes diárias aumentou: agora, tem ultrapassado consistentemente 2 mil ou até 3 mil por dia (exceto nos fins de semana). As consequências das festas de fim de ano devem piorar a situação.

O presidente americano, Donald Trump, tem questionado as cifras no país. Há alguns meses, disse estar confiante de que o número final ficaria entre 50 mil e 60 mil mortes, embora depois tenha previsto que até 110 mil mortes poderiam ocorrer, um número que também foi ultrapassado. Há mais de 360 mil mortos no país, que é o mais atingido pela pandemia no mundo. 

Por sua vez, o Instituto de Métricas e Avaliações de Saúde (IHME) da Universidade de Washington, cujos modelos para prever a evolução da pandemia são frequentemente estabelecidos pela Casa Branca, calcula que quando Trump sair do poder 420 mil pessoas terão morrido, em 20 de janeiro, e 560 mil em 1º de abril. /  AFP e EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.