EUA tem poucas opções contra programa iraniano, diz Gates

O secretário de Defesa dos EUA, Robert Gates, disse na quinta-feira que uma ação militar norte-americana contra o Irã ainda não está em pauta. No entanto, ele afirmou também que não é o momento de buscar um engajamento diplomático para resolver o impasse."Francamente, neste momento, não há nada que os iranianos queiram de nós", disse Gates a jornalistas, após um encontro com aliados do Golfo Pérsico. "Então, se fôssemos negociar agora, teríamos de assumir um papel suplicante".O comentário do secretário de Defesa pode ser encarado como o reconhecimento de que o governo Bush, apesar de suas crescentes críticas ao Irã, tem opções limitadas para forçar o país a abandonar seu programa nuclear, ou então, a assumir uma posição de apoio aos EUA no Iraque. Gates alegou ter comentado com o líder do Qatar, Hamad bin Khalifa al-Thani "que os iranianos têm sido muito agressivos". Ele disse também que os EUA não pretendem abandonar seus compromissos na região.Na quarta-feira, em um encontro com o rei Abdullah, da Arábia Saudita, Gates teria afirmado que os EUA enxergaram o Iraque como um reduto contrário a Teerã, disse um funcionário do Departamento de Defesa."Nossos aliados árabes tendem a ver o Iraque no contexto de um novo desafio proposto pelo Irã", disse o funcionário. "Então, o secretário de Defesa pode reassegurar a esses países que os EUA esperam que o Iraque funcione, na verdade, como uma barreira ao expansionismo iraniano". Durante sua viagem, o secretário de Defesa norte-americano encontrou-se também com o líder do Bahrein, rei Hamad bin Isa al-Kalifa, na noite de quinta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.