EUA têm recorde de mortos em outubro no Afeganistão

Os Estados Unidos informaram hoje que oito soldados norte-americanos foram mortos em vários ataques a bomba no sul do Afeganistão. Desse modo, outubro passa a ser o mês mais mortífero para tropas norte-americanas no Afeganistão desde o início da guerra, em 2001.

AE-AP, Agencia Estado

27 de outubro de 2009 | 14h56

As últimas mortes elevam para 55 o total de militares dos Estados Unidos mortos este mês. Em agosto, quando foi realizada a eleição presidencial, 51 soldados morreram.

Os militares disseram que as oito mortes registradas hoje ocorreram em ataques "múltiplos e complexos" no sul do país. Um civil afegão também foi morto e vários soldados norte-americanos ficaram feridos.

Confiança no governo

A confiança dos afegãos no governo e no sistema democrático já estava em queda antes das eleições de agosto, marcadas por denúncias de fraude. Uma pesquisa divulgada pelo centro de estudos Asia Foundation, hoje, revela que o apoio à democracia caiu para 78% no país neste ano, ante 84% em 2006.

A sondagem foi realizada antes das eleições presidenciais do dia 20 de agosto, quando houve centenas de denúncias de fraudes. Mais de um milhão de votos foram anulados. Antes das eleições, 65% dos entrevistados acreditavam que as eleições seriam justas.

A pesquisa também mostrou que 71% dos afegãos têm uma visão positiva do governo nacional. Em 2007, esse índice estava em 80%. No sudoeste afegão, mais afetado pela violência, o apoio ao governo fica em 59%. Em todo o país, mais da metade das pessoas acreditam que a corrupção aumentou no último ano. Com informações da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoEUAguerrarecorde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.