EUA temem atentado em embaixadas na América do Sul

As embaixadas dos Estados Unidos no Paraguai, Uruguai e Equador, assim como o consulado em Guayaquil (Equador), fecharam suas portas devido a temores sobre segurança. De acordo com o Departamento de Estado dos EUA, os funcionários das representações diplomáticas compareceram ao trabalho, mas as portas ficaram fechadas para o público. O ministro do Interior do Uruguai, Guillermo Stirling, afirmou que "as autoridades da embaixada solicitaram reforço nas medidas de segurança" devido a uma ameaça de atentado. Stirling disse, no entanto, que "não há nenhum indício sobre um possível atentado". Segundo o ministro, a decisão da embaixada dos EUA em Montevidéu tem relação com a situação de violência entre Israel e os palestinos. A 300 quilômetros a leste da capital, na cidade de Chuy (fronteira com o Brasil), vive uma numerosa colônia palestina.No Paraguai, o fechamento da embaixada foi determinado "por precaução". A Polícia Nacional foi chamada para reforçar a segurança do prédio. A imprensa relacionou a medida a possíveis ameaças que teriam sido feitas por elementos fundamentalistas árabes que se encontram na zona da tríplice fronteira, entre Brasil, Argentina e Paraguai. No Equador, a embaixada fechou também "como medida de precaução". Segundo os diplomatas norte-americanos, o serviço ao público será normalizado na segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.