AFP PHOTO/MANDEL NGAN
AFP PHOTO/MANDEL NGAN

EUA temem que detalhes do acordo sejam revelados

O secretário de Estado americano, John Kerry, afirmou ontem em Genebra que o premiê israelense, Binyamin Netanyahu, não deveria debater detalhes do programa nuclear iraniano em público e disse que revelar partes do acordo entre o Irã e o P5+1 (EUA, Grã-Bretanha, França, Rússia e China, mais a Alemanha) poderia colocar em risco a negociação.

JAMIL CHADE , CORRESPONDENTE / GENEBRA , O Estado de S.Paulo

03 Março 2015 | 02h01

Kerry não falou diretamente sobre Netanyahu, mas mandou um recado. Segundo Kerry, as informações de que os detalhes do acordo com o Irã poderiam ser tornados públicos minariam o processo de aproximação com Teerã.

"Estamos preocupados com informações que sugerem que detalhes selecionados das atuais negociações possam ser discutidos publicamente nos próximos dias", declarou. "Quero deixar claro que, ao fazer isso, vai ficar mais difícil de chegar à meta que Israel e outros querem. A segurança de Israel está absolutamente em nossas mentes." Kerry fez a declaração sem ter sido questionado sobre o tema, o que deixou evidente a intenção de mandar o recado a Netanyahu.

A partir de hoje, em Montreux, na Suíça, americanos e iranianos farão uma série de encontros para tentar aproximar suas posições sobre o tema. Ontem, o chanceler iraniano, Mohamed Javad Zarif, deixou claro que, se todos os lados fizerem concessões, pode haver um acordo nas próximas semanas.

Mais conteúdo sobre:
EUA John Kerry Netanyahu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.