EUA temem reviravolta política no Paquistão

Forças especiais do Pentágono estão se preparando para uma missão de alto risco: a de apreender as ogivas nucleares do Paquistão, se o regime do presidente Pervez Musharraf cair, revelou o semanário New Yorker. A fragilidade do apoio interno a Musharraf preocupa Washington, pois uma queda do regime do general colocaria os EUA em uma situação difícil. Existe uma preocupação especial com a atitude dos serviços secretos paquistaneses (ISI), que continuam ligados aos talebans. O que mais se teme, na verdade, é que a queda de Musharraf possa ser acompanhada da tentativa, por parte de diferentes facções dos serviços secretos vinculadas aos talebans, de assumir o controle de algumas das 24 ogivas nucleares atualmente em poder do Paquistão. Forças especiais dos EUA estão se adestrando, já há algum tempo, para atuar com a máxima rapidez nessa eventualidade, junto a um grupo de elite antiterrorismo israelense - a famosa Unidade 262, que teria enviado alguns membros do grupo aos EUA para receberem treinamento. O Paquistão possui mísseis de médio alcance e caças bombardeiros F-16 que poderia utilizar para fazer as armas nucleares chegarem ao alvo. Entre os objetivos possíveis dos "renegados" da inteligência paquistanesa estão a Índia e os quatro porta-aviões americanos que estão em águas do Paquistão. São os mesmos porta-aviões dos quais poderia ser lançada a difícil missão das forças especiais americanas, caso fosse necessário proteger as ogivas nucleares paquistanesas. Leia o especial

Agencia Estado,

29 Outubro 2001 | 15h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.