EUA tenta anular ´habeas corpus´ de ex-agente da CIA

O Departamento de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSD) apresentou nesta quinta-feira um recurso num tribunal federal do estado do Texas para evitar a libertação do anticastrista Luis Posada Carriles, ex-agente da CIA.Posada, atualmente numa prisão do estado do Novo México, solicitou em abril de 2006 a suspensão de sua detenção, que começou em maio de 2005, e que considera ilegal.Num documento apresentado ao juiz Philip Martínez, o NSD pede a anulação do "habeas corpus", argumentando que Posada enfrenta um processo penal.O advogado de Posada em El Paso, Felipe Millán, disse que o pedido do governo é improcedente.A situação do ex-agente da CIA se complicou em meados de janeiro, quando o governo americano apresentou acusações formais de cometer fraude e de mentir às autoridades imigratórias em sua solicitação de cidadania.O cubano, acusado por Cuba e Venezuela de atos terroristas, declarou ter entrado nos EUA em março de 2005 como imigrante ilegal por terra. No entanto, as autoridades federais dizem ter provas de que ele entrou por mar, chegando a Miami a bordo de uma embarcação de seu benfeitor, Santiago Álvarez.Posada pode ser condenado a até 10 anos de prisão.O Departamento de Segurança Nacional afirmou que libertar o anticastrista traria graves conseqüências à política externa dos EUA. O acusado está supostamente relacionado com pelo menos dois ataques terroristas contra o governo do presidente cubano, Fidel Castro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.