P Photo/Evan Vucci
P Photo/Evan Vucci

EUA terão nova diretiva para lidar com cidadãos sequestrados por terroristas

Obama indica que seu governo não irá mais pressionar as famílias de parentes sequestrados a não pagar resgate e reconhece que o país "falhou com eles algumas vezes"

O Estado de S. Paulo

24 de junho de 2015 | 16h21

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou nesta quarta-feira, 24, uma "resposta mais coordenada" com uma nova diretiva do governo para ajudar a resgatar americanos mantidos reféns por terroristas no exterior. Obama indicou que seu governo não irá mais pressionar as famílias de parentes sequestrados a não pagar resgate. 

Ao final de uma reunião com parentes de prisioneiros executados por terroristas, Obama reconheceu que o governo "falhou" com as famílias de alguns desses sequestrados. "Reconheci a eles em particular o que quero tornar público agora, de que é verdade que em alguns momentos nosso governo, independentemente de sua boa intenção, falhou com eles. Prometi que podemos fazer melhor", declarou Obama. 

O presidente reafirmou o principal da política dos EUA sobre o tema, de que diferentemente de alguns aliados, não faz concessões ou pagamentos para resgatar prisioneiros, será mantido. Segundo ele, o pagamento de resgate enriquece os militantes e encorajaria novos sequestros. No entanto, segundo a Casa Branca, o Departamento de Justiça "não tem a intenção de aumentar a dor das famílias em casos assim com possíveis processos criminais". 

Tudo o que sabemos sobre:
Barack ObamaEUAserquestro de reféns

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.