EUA teriam apoiado golpe na Venezuela, diz jornal

Membros do primeiro escalão da administração Bush encontraram-se várias vezes nos últimos meses com líderes da coalizão que derrubou o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, informa a edição desta terça-feira do The New York Times, citando fontes da administração. As autoridades concordaram que Chávez deveria ser retirado do governo. No entanto, as fontes deram explicações conflitantes sobre o que os EUA disseram aos oponentes de Chávez em relação a meios aceitáveis de retirá-lo do governo, diz o Times. Um dos envolvidos nas discussões insistiu para que fossem utilizados meios constitucionais, como um referendum. Mas uma autoridade do Departamento da Defesa norte-americana, envolvido no desenvolvimento de uma política em relação à Venezuela, disse que a mensagem da administração foi menos categórica. "Não estamos desencorajando as pessoas", afirmou. "Estamos enviando sinais informais de que não apreciamos esse rapaz. Não dissemos ?não, não liguem? e também não defendemos ?aqui estão algumas armas, ajudaremos a retirá-lo?", explicou a autoridade. Um membro do primeiro escalão do governo Bush disse que o grupo anti-Chávez não pediu aos EUA que apoiassem o golpe e que nada lhes foi oferecido. O Times diz que as autoridades da administração insistem que estão por trás dos esforços da Organização dos Estados Americanos para determinar o que aconteceu na Venezuela e para restaurar a democracia no país. O secretário-geral da OEA, César Gaviria, viaja hoje para Caracas. A organização deverá reunir-se na quinta-feira em Washington.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.