EUA: Tornado deixa 51 mortos em Oklahoma

Um gigantesco tornado que varreu nesta segunda-feira um subúrbio de Oklahoma City provocou a morte de pelo menos 51 pessoas, informou o instituto local de medicina legal.

AE, Agência Estado - Atualizado às 22h10

20 de maio de 2013 | 21h41

Amy Elliott, porta-voz do IML de Oklahoma, advertiu que o número de mortos deve ser ainda maior. Segundo a rede de TV CNN, sete vítimas eram crianças da escola Plaza Towers. Também de acordo com a rede, enfermeiros relataram haver 24 alunos desaparecidos.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, telefonou para a governadora de Oklahoma, Mary Fallin, e disse que orientou as agências federais a forneceram a assistência que for necessária.

Na tarde de hoje, um tornado de 1,6 quilômetro de largura devastou quarteirões inteiros, desatou incêndios e atingiu em cheio uma escola em Moore, nos subúrbios de Oklahoma City, nos Estados Unidos.

Equipes de resgate e voluntários dirigiram-se à escola logo depois da passagem do tornado e resgataram diversas crianças dos escombros da escola. Pouco depois, autoridades locais disseram que quase 60 pessoas foram socorridas em hospitais de Oklahoma e região, inclusive mais de dez crianças. Pelo menos dez pessoas foram internadas em estado grave.

Um fotógrafo da agência de notícias Associated Press viu diversas crianças sendo resgatadas e passadas por uma corrente humana até serem socorridas um centro de triagem improvisado no estacionamento da escola, situada em Moore, Oklahoma.

A escola elementar em questão sofreu extensos danos durante a passagem do tornado, cujos ventos alcançaram 320 quilômetros por hora, mas não há informações iniciais sobre vítimas disse Gary Knight, do Departamento de Polícia da Cidade de Oklahoma.

O capitão de polícia Dexter Nelson advertiu que as linhas de eletricidade e as tubulações de gás destruídas pelo tornado representam risco à população e pediu cuidado. / AP

Tudo o que sabemos sobre:
EUAtornadomortesObama

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.