EUA transmitem o controle de sua maior base no Iraque

Dentro do palácio construído por Saddam Hussein, generais dos EUA articularam o curso da guerra do Iraque, ao mesmo tempo em que, do lado de fora do edifício, militares perdiam suas bolas de golfe nos lagos artificiais. Desde que a 3.ª Divisão de Infantaria conquistou o complexo próximo ao aeroporto de Bagdá, há quase nove anos, o local tornou-se o maior símbolo da ocupação americana. Ontem, o controle da base foi entregue aos iraquianos.

BAGDÁ, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2011 | 03h03

No auge de sua atividade sob o domínio dos EUA, o local abrigou cerca de 46 mil pessoas, entre comandantes que elaboravam sua estratégia, comunicando-se com seus superiores, e combatentes que aproveitavam suas folgas para relaxar ao ar livre, fumando charutos, bebendo cervejas sem álcool ou assistindo a filmes em suas dependências internas.

Não longe do quartel-general americano, um Saddam encarcerado cuidou de seu canteiro, dentro de uma pequena construção amuralhada com vigilância constante, aguardando o julgamento que pôs fim a sua vida.

"A base não está mais sob o controle dos EUA, mas sob a total autoridade do governo do Iraque", disse o coronel Barry Johnson, porta-voz militar americano, explicando que, às 14 horas (9 horas de Brasília), nenhum soldado estrangeiro permanecia no local. A transferência da maior base americana no Iraque para o controle de Bagdá ocorreu com pouco alarde e nenhuma cerimônia.

O complexo era usados originalmente como um clube de campo pela elite iraquiana. Pequenas lembranças daquela era, como placas avisando onde estacionar os carros ou os horários de funcionamento do cassino continuam no local.

"Saddam mandou construir o complexo após sofrer um constrangimento. Durante a reunião de cúpula da Liga Árabe, em 1978, o ditador se viu forçado a hospedar os líderes em visita ao Iraque em residências privadas de Bagdá, por não ter no país acomodações apropriadas", lembra Robert Kirkland, historiador das Forças Armadas dos EUA.

Para solucionar o problema, Saddam iniciou a construção de nove palácios, com variados graus de magnificência, entre eles aquele que ficou conhecido como "Camp Victory", que foi tomado pelos americanos em abril de 2003. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.