EUA trocam pistas sobre terrroristas por cidadania

Os Estados Unidos podem conceder a cidadania americana para os imigrantes que fornecerem pistas sobre terroristas, disse o procurador-geral (secretário da Justiça), John Ashcroft. De acordo com ele, "as pessoas que tiverem a coragem de fazer a escolha certa merecem ser recebidas com prazer em nosso país, talvez para um dia se tornarem cidadãos americanos". O programa "Cooperadores Responsáveis" vai adiar a deportação de estrangeiros com problemas de visto indefinidamente e vai permitir que essas pessoas entrem no país e eventualmente tentem obter a cidadania americana. Os estrangeiros, por sua vez, precisam fornecer "informação confiável e útil", que ajude os investigadores a rastrear terroristas e evitar novos atques, disse Ashcroft. A informação não precisa ser necessariamente uma prova contra uma pessoa ou ser esclarecedora. "Pode ser que um elo perdido em uma cadeia de evidências" sirva para alguma coisa, afirmou o procurador-geral. Ashcroft disse que os investigadores "têm provas claras" de que Osama bin Laden se sua rede terrorista, a Al-Qaeda, são os responsáveis pelos ataques terroristas de 11 de setembro e que integrantes da Al-Qaeda continuam nos Estados Unidos. O programa para oferecer a cidadania americana para os estrangeiros é o último apelo do governo americano para conseguir novas pistas sobre os terroristas entre a população. Centenas de pessoas de países do Oriente Médio têm sido investigadas, chamando a atenção de grupos de defesa de direitos civis e grupos muçulmanos-americanos. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.