EUA vão discutir imigração, diz assistente de Obama

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, não perdeu de vista o tema da imigração apesar dos grande problemas que enfrenta e pensa em promover uma reforma imigratória integral ainda este ano, segundo declarações de Cecília Muñoz, assistente adjunta do presidente e diretora para assuntos intergovernamentais da Casa Branca, ao jornal The New York Times. Cecília afirmou que Obama "se propõe a iniciar o debate este ano".

AE-AP, Agencia Estado

09 de abril de 2009 | 16h25

Dessa forma, Obama cumpriria uma promessa que fez antes das eleições do ano passado, quando os hispânicos votaram majoritariamente a seu favor. Cecília também indicou que o presidente promoverá uma reforma que abra o caminho para que os indivíduos que não possuem documentos normalizem sua situação.

O New York Times destaca que "os funcionários do governo ainda debatem o momento oportuno e a estratégia" para a reforma e que, segundo dirigentes democratas, "não são esperadas discussões legislativas sérias sobre o assunto antes que sejam debatidas algumas das outras prioridades" do governo. O diário afirmou que, "em termos gerais, o governo de Obama é favorável a uma legislação que incorpore os indivíduos sem documentos ao sistema legal", para o qual teriam de "admitir que violaram as leis". Eles também deveriam pagar multas e aceitar outras punições de acordo com suas infrações.

Tudo o que sabemos sobre:
Obamaimigração

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.