EUA veem ameaça 'crível, mas não confirmada' de ataque perto do 11/9

Informações dizem respeito a Nova York e Washington, mas outros locais não podem ser excluídos

Reuters

08 Setembro 2011 | 20h50

Atualizado às 00h15

 

ESPECIAL: Dez Anos do 11 de Setembro

 

WASHINGTON - Os Estados Unidos têm informações "críveis, mas não confirmadas" sobre uma possível ameaça terrorista próxima do 10º aniversário dos atentados de 11 de setembro de 2001, disseram autoridades americanas nesta quinta-feira, 8. As ameaças estariam ligadas a Nova York e Washington, mas outras cidades não podem ser excluídas.

 

Veja também:

documento ESPECIAL: Dez anos do 11 de Setembro

som ESTADÃO ESPN: Série especial

forum PARTICIPE: Onde você estava quando soube dos atentados?

 

As fontes, falando em condição de anonimato, disseram que ainda não há informações claras, afirmando que "o contexto ainda está se formando". Segundo um oficial de segurança, especialistas acreditam que a ameaça ainda não pode ser confirmada.

 

As fontes, falando em condição de anonimato, disseram que ainda não há informações claras, afirmando que "o contexto ainda está se formando". Segundo um oficial de segurança, especialistas acreditam que a ameaça ainda não pode ser confirmada.

 

O Departamento de Segurança Doméstica, que disse ainda na semana passada que não havia informações críveis sobre um ataque da Al-Qaeda no aniversário do 11 de setembro, confirmou as informações da ameaça. "Foi apurado que há informações específicas e críveis, mas não confirmadas sobre uma ameaça", disse Matt Chandler, porta-voz do Departamento.

 

Ainda assim, ele acrescentou que os Estados Unidos "sempre" recebem esse tipo de informação antes de datas importantes. "Algumas vezes esses relatos são críveis e demandam uma atenção intensa, outras vezes não têm credibilidade e servem apenas para desvirtuar o foco de planos reais que estão em curso", concluiu.

 

A Casa Branca indicou que o presidente Barack Obama foi informado sobre a possível ameaça na manhã desta quinta-feira e afirmou que "os Estados Unidos já prepararam sua postura de defesa" ante o aniversário dos atentados. "O presidente direcionou os oficiais de combate ao terrorismo para redobrar os esforços em resposta a estas informações", disse uma fonte de Washington.

 

Uma fonte das forças de segurança disseram que as autoridades estariam em busca de dois ou três suspeitos. Segundo a Efe, canais americanos dizem que um destes suspeitos é americano. Eles teriam entrado no país com o objetivo de perpetrar um ataque com um carro-bomba em Nova York ou em Washington

 

Bin Laden

 

Integrantes do governo americano destacam que, durante a operação que levou à morte de Osama bin Laden, no Paquistão, em maio deste ano, foram encontrados documentos que mostravam a intenção do líder da rede Al-Qaeda de realizar atentados que coincidissem com a data.

 

Os atentados de 2001 foram realizados por extremistas ligados à rede Al-Qaeda, que sequestraram quatro aviões: dois atingiram as Torres Gêmeas do World Trade Center, em Nova York, enquanto outro se chocou contra o Pentágono, em Washington. O quarto caiu na cidade de Shanksville, na Pensilvânia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.