EUA vetam entrada de chavistas no país por repressão a protestos

Ministro de Relações Exteriores venezuelano chama decisão de 'retaliação' ao papel do país 'na formação de um mundo novo'

Cláudia Trevisan, correspondente / Washington, O Estado de S. Paulo

30 de julho de 2014 | 10h22

" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

(Atualizada às 15h20) WASHINGTON - Os Estados Unidos anunciaram na manhã desta quarta-feira, 30, que passarão a negar vistos de entrada no país a integrantes do governo da Venezuela que tenham sido responsáveis ou cúmplices na repressão a protestos realizados em meses recentes, nos quais 43 pessoas foram mortas.

As medidas foram anunciadas no momento em que o Congresso dos EUA discute a adoção de sanções mais severas contra a administração de Nicolás Maduro. O presidente americano, Barack Obama, se opõe a essas medidas, por temer que elas acabem fortalecendo o governo de Caracas e sua narrativa contra o "imperialismo americano".

O ministro de Relações Exteriores venezuelano, Elías Jaua, chamou a decisão dos EUA de "retaliação" ao "papel da Venezuela na formação de um mundo novo". "Entendemos todas essas agressões como um grito desesperado de quem sabe que o mundo está mudando e não tem outra forma de se relacionar", disse o chanceler, segundo o jornal El universal.

A proibição de entrada nos EUA de integrantes do governo é uma ação mais restrita, que não tem impacto sobre a economia do país. "Com esse passo, nós enfatizamos nosso compromisso em responsabilizar indivíduos que cometem violações de direitos humanos", disse o Departamento de Estado em uma nota.

O governo americano não divulgou os nomes das pessoas atingidas pelas restrições, mas ressaltou que sua "mensagem" é clara: "Aqueles que cometeram esses abusos não serão bem-vindos nos Estados Unidos."

Jaua dissse que não recebeu nenhuma notificação formal sobre a suspensão dos vistos. "Isso evidencia uma demonstração de muita imaturidade com as relações de respeito que se devem ter."

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelachavismoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.