EUA vetam projeto e ministros árabes expresssam indignação

Os ministros de Exteriores dos países árabes manifestaram neste domingo sua "grande indignação" devido ao veto dos EUA a um projeto de resolução do Conselho de Segurança (CS) da ONU, que condena Israel por conta das últimas ações militares do país em Gaza. A postura dos ministros árabes veio à tona em comunicado emitido durante o encerramento da reunião extraordinária que os chefes da diplomacia dos 22 países-membros da Liga Árabe realizaram neste domingo no Cairo. A reunião foi convocada de urgência após o massacre de palestinos cometido na quarta-feira passada em Beit Hanoun, na qual 19 civis morreram, em sua maioria mulheres e crianças. Os ministros consideraram que o veto "representa uma postura não amistosa (dos EUA) em relação aos Estados árabes, que impede que o Conselho de Segurança desempenhe seu papel, enfrente sua responsabilidade". A nota acrescenta que a postura americana representa "uma mensagem que encoraja Israel a continuar sua agressão (contra os palestinos)". E mais: "Essa medida não ajuda a estabelecer a paz no Oriente Médio, e prejudica a credibilidade dos EUA como ator construtivo nesse sentido". Antes da reunião, o secretário-geral da Liga Árabe, Amre Moussa, disse que o veto americano "nos envia uma mensagem que significa que o processo de paz morreu". Durante a reunião, a Autoridade Nacional Palestina (ANP) pediu a convocação de uma cúpula árabe urgente para discutir a crítica situação nos territórios palestinos após os últimos ataques israelenses. O pedido foi feito pelo presidente da ANP, Mahmoud Abbas, em uma nota que o chefe da diplomacia palestina, Mahmoud Zahar, entregou ao secretário-geral da Liga Árabe, informaram fontes ligadas à organização.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.