EUA vetam resolução contra a violência na ONU

Pela sexta vez em 11 anos, os Estados Unidos vetaram neste sábado uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) para intervir com uma missão internacional de observadores no Oriente Médio. O resolução pede o imediato fim da violência entre palestinos e israelenses, a volta às posições que se encontravam em setembro de 2000 e condenação de todos os atos de violência em Gaza e Cisjordânia. Ao termino das negociações sobre a violência no Oriente Médio, o embaixador americano na ONU, John Negroponte, declarou que o seu país não poderia aceitar uma resolução com esses termos. Para Negroponte, o texto não diz nada sobre os últimos atentados terrorista palestinos em Israel. Além disso, ele ressaltou que a resolução tenta isolar politicamente Israel. Das 15 nações do conselho, 12 votaram a favor e um contra. Grã-Bretanha e Noruega se abstiveram. Para aprovar uma resolução são necessários nove votos e que nenhum dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança votem contra. Entre os membros permanentes estão os Estados Unidos. Com o veto de Negroponte, não foi possível aprovar a resolução.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.