EUA vetam resolução da ONU que protegeria Arafat

A representação dos Estados Unidos no Conselho de Segurança da ONU vetou nesta terça-feira uma proposta de resolução que protegeria o presidente da Autoridade Nacional Palestina Yasser Arafat. Os diplomatas já haviam alertado que, mesmo com uma nova versão, o texto os desagradava por não fazer referência explícita aos grupos extremistas islâmicos Hamas e Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, considerados por Washington como terroristas. A proposta de resolução previa que o governo de Israel seria impedido de expulsar Arafat de sua base na Cisjordânia. Além disso, a segunda versão do texto, que vem sendo discutido desde a sexta-feira da semana passada, condenava tanto os assassinatos seletivos de Israel contra líderes dos grupos extremistas como os atentados suicidas perpetrados por palestinos contra Israel.Dos 15 países do Conselho de Segurança, 11 votaram a favor e três se abstiveram: Grã-Bretanha, Alemanha e Bulgária. O embaixador dos Estados Unidos na ONU, John Negroponte, disse imediatamente após a votação no CS que os Estados Unidos não apóiam a eliminação ou exílio forçado de Yasser Arafat. Negroponte afirmou que para os EUA, o isolamento diplomático do presidente da ANP é o melhor caminho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.