EUA voltam a errar e atingem hospital em Kandahar

Jatos norte-americanos provocaram severos danos a um hospital em Kandahar que era administrado pela Rede Crescente Afegã, um grupo islâmico semelhante ao da Cruz Vermelha. Vinte e nove jornalistas foram levados por membros da milícia Taleban, que controla a maior parte do território do Afeganistão, até o hospital. Segundo o médico Obeidallah Hadid, 15 pessoas morreram e 25 ficaram gravemente feridas no bombardeio. Os repórteres, entretanto, viram alguns feridos, mas nenhum morto. O impacto das bombas abriu uma cratera, que engoliu parte da estrutura do prédio. Veículos do hospital foram danificados por estilhaços. A visita ao hospital ocorreu após jornalistas estrangeiros observarem os ataques norte-americanos do teto de um prédio usado pelo Taleban. O tour foi o primeiro realizado por jornalistas do Ocidente a Kandahar, cidade que abriga o quartel central do líder supremo do Taleban, o mulá Mohammed Omar. Leia o especial

Agencia Estado,

31 Outubro 2001 | 19h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.