EUA voltarão a fazer vôos de reconhecimento na Coréia

A Força Aérea dos EUA prepara-se para retomar os vôos de reconhecimento ao largo da costa da Coréia do Norte, dez dias depois de caças norte-coreanos terem interceptado um avião americano equipado para monitorar testes de mísseis, informa um alto oficial dos EUA.Não ficou claro se a Força Aérea pretende usar caças para escoltar os vôos de reconhecimento, mas autoridades militares disseram, no início da semana, que escoltas desse tipo seriam altamente improváveis. Os EUA sempre defenderam seu direito de realizar vôos de vigilância no espaço aéreo internacional sem escolta armada, e quase nunca encontrou resistência.No dia 2 de março, quatro jatos norte-coreanos interceptaram um RC-135S Cobra Ball sobre o Mar do Japão, a 240 km da costa da Coréia do Norte. Autoridades americanas disseram que os aviões coreanos usaram seus radares de uma maneira que indicava um possível ataque, mas nenhum tipo foi disparado.O avião americano interrompeu sua missão e retornou, intacto, para a base de Kadena, no Japão. Desde então não houve novos vôos americanos de reconhecimento ao largo da costa norte-coreana, disseram oficiais.O oficial que, falando sob a condição de não ter seu nome divulgado, disse que os vôos iriam recomeçar não forneceu maiores detalhes. O tenente-comandante Jeff Davis, um porta-voz do Pentágono, disse que não poderia comentar as informações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.