Europa aprova nova lei de transgênicos

As nações da União Européia (UE) aprovaram nesta quinta-feira formalmente as novas regras de rotulagem e fiscalização de alimentos geneticamente modificados. O Parlamento Europeu anunciou nesta quinta-feira a aprovação em assembléia de medidas que agradaram à indústria, na medida em que representam o primeiro passo em direção ao fim da moratória de três anos sobre as licenças para as culturas de transgênicos.Todos os 15 países-membros da UE aprovaram as medidas, com exceção de França e Itália, que preferiram se abster. A UE tem agora 18 meses para implementar a lei, mas os governos ainda podem manter o embargo mesmo depois deste período, na medida em que os produtos geneticamente alterados ainda precisem ser individualmente aprovados em cada país. França, Itália, Dinamarca, Áustria, Luxemburgo e Grécia indicaram que podem requisitar salvaguardas mais rígidas antes de apoiar a liberação de novos produtos. Ao mesmo tempo, a contínua oposição de consumidores, ambientalistas e alguns governos deve continuar impedindo uma explosão de transgênicos na Europa. Em nações como a Grã-Bretanha, onde o governo se tem mostrado mais entusiasmado com o potencial dos organismos geneticamente alterados, as redes de supermercados retiraram os transgênicos de suas prateleiras, visando manter a confiança de seus consumidores. Grupos ambientalistas dizem que a nova legislação teria um impacto muito pequeno no sentido de tranqüilizar as preocupações em torno dos possíveis riscos que os transgênicos possam representar para a saúde ou para o meio-ambiente.A Comissão Européia (CE), corpo executivo da UE, disse que espera que a nova legislação convença os governos a acabar com os obstáculos para as licenças de novos produtos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.