Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters

Europa congelará ativos da mulher de Assad, garante jornal

Asma se casou com o presidente sírio no final de 2000, ano em que seu marido assumiu o poder

Efe,

20 de março de 2012 | 10h10

LONDRES - A União Europeia (UE) congelará ativos de membros do regime sírio e também da mulher do presidente Bashar al-Assad, Asma, após a divulgação de suas escandalosas compras apesar da repressão na Síria, revelou nesta terça-feira, 20, o diário "The Daily Telegraph".

 

Veja também:
especialMAPA: 
A revolta que abalou o Oriente Médio
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução
tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe 

Asma al-Assad foi nos últimos dias o centro das atenções da imprensa britânica depois da revelação de e-mails seus que detalhavam compras vultosas feitas através da internet.

Segundo informa hoje o periódico britânico, Asma al-Assad, de 36 anos, se somará aos nomes de outros 114 sírios, incluindo seu marido, cujos ativos serão congelados pelos países da UE.

A decisão de incluir Asma al-Assad na lista deverá ser tomada na sexta-feira, durante a reunião dos ministros das Relações Exteriores da UE em Bruxelas, acrescenta o rotativo.

"Membros da família Assad serão acrescentados à lista", indicou uma fonte diplomática da UE ao diário.

Nascida e criada em Acton, bairro do oeste de Londres, Asma al-Assad se casou com o presidente sírio no final de 2000, ano em que seu marido assumiu o poder após a morte do pai, Hafez.

Os e-mails publicados recentemente pelo "The Guardian" foram interceptados por membros de um grupo da oposição síria entre junho de 2011 e fevereiro de 2012, e revelaram que Asma comprou roupas de marca e até candelabros. 

Tudo o que sabemos sobre:
Primavera ÁrabeSíriaEuropaAssad

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.