Europa decide levar concorrente do GPS adiante

Após meses de controvérsia, representantes de governos europeus concordaram em prosseguir com o programa de navegação por satélite Galileo, maior projeto de infra-estrutura do continente. Resposta européia ao Global Positioning System (GPS) dos militares americanos, o Galileo, orçado em ? 3,2 bilhões (U$ 3,6 bilhões), prevê colocar em órbita 30 satélites até 2008.A expectativa é de que a rede de satélites ajude a controlar o tráfego marítimo, rodoviário e ferroviário e a sincronizar a transmissão de dados entre computadores. Seus idealizadores acreditam que o programa criará 140.000 empregos - além de impulsionar a indústria aeroespacial européia, afetada pela queda na demanda por satélites de telecomunicações e pela competição internacional."Este é um grande dia para a Europa, em particular para sua comunidade espacial", disse o diretor da Agência Espacial Européia, Antonio Rotota. A entidade reúne a maioria dos 15 membros da Comunidade Européia, Noruega e Suíça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.