Europa desbarata rede de recrutamento para o Iraque

Autoridades européias desbarataram uma rede que recrutou pelo menos 200 muçulmanos para executar ataques contra as forças de ocupação no Iraque, disseram investigadores italianos à Associated Press. Os voluntários eram aliciados entre jovens islâmicos marginalizados na sociedade da Europa ocidental.Há suspeitas de que alguns desses militantes tenham se envolvido em ataques suicidas, disse uma alta autoridade italiana. Um relatório afirma que recrutas europeus podem estar envolvidos no ataque de agosto à representação das Nações Unidas, onde morreram o brasileiro Sérgio Vieira de Mello e outras 21 pessoas.O suposto líder da quadrilha de recrutadores é Abderrazak Mahdjoub, um argelino de 30 anos. Ele foi preso em 28 de novembro em Hamburgo, Alemanha. Dois suspeitos continuam foragidos: uma mulher da Tunísia, Betinwaa Farida Ben Bechir, e o iraquiano Muhamad Majid, diz a polícia milanesa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.