Europa diz amanhã se aceita ou não a Turquia

Os chefes de Estado e governo dos 25 países que compõem o Conselho da União Européia (UE) participam amanhã, em Bruxelas, de uma cúpula histórica, na qual decidem se iniciam ou não, em 2005, as negociações para a entrada da Turquia no bloco europeu. A reunião começa com recomendações favoráveis a Ancara de duas importantíssimas instituições da UE - a Comissão Européia (órgão executivo) e o Parlamento Europeu (órgão legislativo).A Comissão Européia já havia aprovado as negociações com Ancara há algum tempo. O Parlamento Europeu deu sinal verde hoje. Reunidos em Estrasburgo, na França, 407 eurodeputados votaram "sim", 262, "não", e 12 se abstiveram.Se o Conselho da UE aprovar a adesão da Turquia, as negociações deverão ser iniciadas em meados do próximo ano. A adequação dos turcos às exigências políticas, sociais e econômicas da UE deverá consumir meses ou até mesmo anos, segundo especialistas europeus. Há quem acredite que a incorporação só ocorrerá no fim da década.Entre os requisitos, um é particularmente delicado. A Turquia deve reconhecer o território de etnia grega de Chipre, que já integra a UE. Os turcos, que invadiram em 1973 a parte norte da ilha, já deixaram claro que só reconhecerão uma Chipre unificada.O Parlamento Europeu, ao dar sinal verde para as negociações, impôs algumas "condições-chave" a Ancara, como o reconhecimento de Chipre e a retirada de suas tropas da ilha, melhoria de relações com a comunidade curda do país e reconciliação com o povo armênio, admitindo, oficialmente, o genocídio turco de cristãos armênios em 1915.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.